FOTOS:
Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz
  • Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz
  • Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz
  • Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz
  • Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz
  • Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz

Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz

23% OFF flag-fastsaude
0
Kld
  • Cód.: 08684
  • DISPONIBILIDADE: EM ATÉ 15 DIAS ÚTEIS.
De R$ 1.560,00 Por apenas Por R$ 1.189,00 ou em até 12x de R$ 99,08 no cartão VISA.
Ver parcelas
à vista: R$ 1.129,55 com 5% de desconto no boleto
Adicionando ao carrinho.
Clique aqui caso você não seja redirecionado.
ou
X

Avatar Ii Kld - Aparelho De Ultrassom 1.1Mhz

De R$ 1.560,00 Por apenas Por R$ 1.189,00 ou em até 12x de R$ 99,08 no cartão VISA.
Ver parcelas
à vista: R$ 1.129,55 com 5% de desconto no boleto
Adicionando ao carrinho.
Clique aqui caso você não seja redirecionado.
ou
Descrição
Documento sem título Com visual moderno e inovador, o Avatar II 1.1Mhz é um ultrassom terapêutico destinado ao manuseio da área de fisioterapia, possuindo elevada potência de ultrassom, grande precisão de dose e temporização, podendo permanecer ligado e trabalhando ininterruptamente. A Terapia Ultra-sônica é uma ferramenta que deverá ser utilizada como parte integrante de um programa de reabilitação. Por exemplo, aplica-se ultrassom antes de exercícios ou estiramentos musculares, pois seus efeitos terapêuticos permitem que o tecido a ser estirado responda mais favoravelmente.


DIFERENCIAIS

- Ultrassom contínuo e pulsado micro processado, cabeçote 1MHz, com intensidades máximas de 2W/cm² no modo contínuo e 3W/cm² no modo pulsado, possibilidade de ajustar a frequência no modo pulsado em 16/32/48/64/96 Hz com opções independentes do ciclo-ativo em 5/10/15/20 por cento.

- Cabeçote Transdutor com área de emissão (ERA) de 5cm², feixe colimado, ergonômico e pesando apenas 130 gramas.

- Programação dos parâmetros e operação em forma de menus facilmente acessados via teclado e visualizado em display de cristal líquido com iluminação verde.

- Memória com 24 indicações de tratamentos pré-programadas e área para salvar 10 protocolos próprios.

- Gabinete metálico com pintura eletrostática e suporte para o cabeçote Transdutor.

- Sistema de acoplamento sônico com indicação visual, sonora e desligamento da emissão.

- Cálculo automático e correção da dose de saída, levando em consideração a atenuação nos tecidos anteriores ao tecido alvo.


INDICAÇÕES

-Tendinites
-Sinovites
-Bursites
-Pós operatório
-Processos inflamatórios agudos e crônicos
-Dores Musculares
-Edemas
-Hematomas
-Fonoforese


CONTRAINDICAÇÕES

- Tumores Malígnos
- Cérebro ou Área Bulbar
- Gestantes
- Testículos
- Área Pós-Operatória
- Infecções e Tromboflebites Agudas
- Área Pré-Cordial
- Áreas de Sensibilidade Alterada
- Globo Ocular
- Áreas de Circulação Inadequada
- Marca-passos


DADOS TÉCNICOS

Registro na Anvisa: 10245230021
Frequência: 1.1
Potência: 15 W
Pulsos de: 16 a 96 Hz
Ciclos Ativos: 5 a 30 por cento
Protocolos Prontos.
Pulsado e Contínuo.
Dimensões: 35cm x 26cm x 13cm (C x L x A)
Peso: 4.5 kg
Voltagem: Bivolt


ITENS INCLUSOS

01 Tubo de Gel
01 Conversor de Alimentação
01 Cabeçote Aplicador 1MHz
01 Cabo de Força
01 Termo de Garantia
01 Manual de operação


DÚVIDAS FREQUENTES

Devo utilizar o ultrassom pulsado ou contínuo?

A escolha vai depender do objetivo do seu tratamento e estado fisiopatológico do seu paciente. O modo contínuo eleva mais efetivamente a temperatura do tecido. Os modos pulsados, que possuem ciclo de trabalho de 5, 10, 15, 20, 25 e 30 por cento diminuem os efeitos térmicos. Ambos, contínuo e pulsado, podem produzir efeitos não térmicos. Os efeitos não térmicos do ultrassom incluem a estimulação da regeneração dos tecidos moles e restauração óssea, aumento do fluxo sanguíneo e mudanças no metabolismo das células e promovem o alívio da dor. Observa-se que o modo contínuo aumenta a extensibilidade em estruturas ricas em colágeno, aumento na mobilidade articular, diminuição do espasmo e da dor, aumento do fluxo sanguíneo e da velocidade de condução nervosa produzindo ainda reações inflamatórias medianas (liberações histamínicas).


Como devo selecionar a intensidade mais apropriada de ultrassom para o tratamento?

Isto dependerá do estado do tecido (por exemplo- contraturas, lesões profundas), o tipo e a profundidade do tecido que se deseja alcançar, o modo de aplicação do ultrassom (pulsado ou contínuo) e a frequência. Para o tratamento na fase inflamatória, os efeitos não térmicos e pequenas dosagens podem produzir respostas favoráveis das células; entretanto o ultrassom em modo contínuo com intensidades maiores que 2W/cm2 podem realmente retardar o processo de restauração. Para diminuir os efeitos térmicos, ultrassom em modo pulsado com intensidades menores que 1.0 W/cm2 também poderá ser utilizado. Intensidades maiores de ultrassom em modo contínuo (1.5-2.5 W/cm2) poderão ser necessárias, quando o tecido que se deseja atingir for de localização profunda ou ainda quando existirem tecidos contraídos. Quanto maior for a frequência de ultrassom, maior será a atenuação e a absorção de energia em estruturas superficiais, isto é, 1 a 2cm abaixo da superfície da pele. A frequência de 1 MHz deverá ser utilizanda para tratar tecidos localizados em profundidades de 3 a 5 cm e 3MHz para estruturas superficiais.


Com o aumento da intensidade pode-se compensar a diminuição do tempo de aplicação?

O aumento da intensidade não pode compensar a diminuição do tempo de tratamento pois os efeitos produzidos pelas duas variáveis diferem. O aumento da intensidade pode elevar excessivamente a temperatura do tecido e, portanto não é desejado.


Quando estivermos utilizando o ultrassom para introduzir medicamentos (fonoforese), deveremos utilizar o modo contínuo ou pulsado?

A fonoforese torna-se mais fácil com aplicação de efeitos não térmicos (ondas pulsadas). Mudanças na permeabilidade dos tecidos facilitam a penetração dos medicamentos através da pele. O ultrassom em modo contínuo ou pulsado com a mesma intensidade média possuem essencialmente o mesmo efeito de transporte ativo de íons através das membranas biológicas, sobre a permeabilidade e sobre mecanismos de difultrassomão através das membranas. Devido aos efeitos térmicos, ondas contínuas induzem uma pequena reação pró-inflamação. Se o objetivo do tratamento é diminuir a inflamação através de aplicação de hidrocortizona, deve-se dar preferência ao modo pulsado.


Qual a diferença clínica entre 1.0 e 3.0 MHz?

O ultrassom de 1.0 MHz é utilizado em estruturas mais profundas (músculos, tendões, bursas), pois ele é pouco absorvido em estruturas superficiais e em tecido adiposo. Ao contrário, 3.0 MHz deverá ser utilizado em estruturas superficiais, tanto com cotovelos, pois a energia é absorvida nos tecidos que estiverem entre 1 e 2 cm abaixo da superfície da pele, evitando o rebote do periósteo. Ultrassom de 3MHz é utilizado também com fins estéticos.


O que significa E.R.A?

Área de Radiação Efetiva do cabeçote, o que significa que a área da superfície do cabeçote pode não corresponder à área de emissão de ondas e o cálculo da dose para ser real precisa considerar o tamanho da área de emissão. Áreas de emissão próximas ao tamanho do cabeçote necessitam de tempos menores que áreas efetivas de tamanhos menores que a do cabeçote. Verifique no manual do equipamento, qual a ERA do seu aplicador.


O que é atenuação e por que ela ocorre?

O ultrassom sofre alterações à medida que atravessa um meio, o que causa atenuação de sua intensidade durante este trajeto. Parte desta atenuação é utilizada pela conversão de energia em calor por absorção e o restante, pela reflexão e refração do feixe.


Por que os movimentos do ultrassom devem ser lentos e contínuos?

Devido a não uniformidade do feixe de ultrassom, o cabeçote não deve ficar parado sobre um mesmo local. Também não deve ser movimentado muito rápido, pois não haveria tempo do tecido entrar em ressonância. O melhor procedimento é o movimento circular-deslocado, numa velocidade de 1 a 2 cm/segundo.


É necessário calibrar o ultrassom frequentemente?

Sim, recomenda-se uma aferição a cada 18 meses ou toda vez que o cabeçote cair no chão, apresentar trincas, ou algum tipo de ruído. Só assim poderá ser realizada uma terapia eficaz com doses realmente confiáveis.


Qual o tempo de aplicação do ultrassom?

Para calcular o tempo de aplicação do Ultrassom deve-se utilizar o seguinte cálculo.
Tempo = área de tratamento ( em cm²).
ERA (verificar no manual do equipamento).
Sendo que o tempo total de aplicação não pode exceder os 15 minutos por região com o transdutor de 1MHz e 20 minutos por região com o transdutor de 3MHz.

Opiniões e Comentários
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Seja o primeiro a avaliar este produto